Quinta-feira, 1 de Novembro de 2012
Atravessa-me a mente uma nitidez deturpada,
E uma conclusão inconclusiva,
Que tudo leva ao nada,
E que é este o único desígnio da vida.

Deformados são os sonhos,
Que me conquistam o subconsciente,
E eu, vitima sou de uma letargia transcendente,
Deitado no sofá.

Minha alma, que tão pequena é,
Acomoda-se na fresta deixada entre o meu corpo e as almofadas aveludadas,
E o corpo esmifrado de meu ser,
Imóvel permanece ao fustigar das facadas.

Não há expectativas, nem rotas de fuga…

Apaguem a luz!

Por favor apaguem a luz!

Hoje não quero ser incomodado,
Não quero ver o sol, não quero ver a rua, não quero nada…
Quero apenas a permanência neste limbo de tortura,
E esta doença sem cura.

Os grilhões que aqui me prendem, vão-se tornando mais fortes, e pelo que vejo, a cada dia passado existem mais razões para os deixar, me agrilhoar…

A luz permanece apagada, camuflando o vai e vem de berrantes pensamentos…

E o meu desejo maior era a vaporização de todos eles, e de meu pensar também…


publicado por pseudo-poeta às 16:53 | link do post | comentar

mais sobre mim
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

HOJE É UM BOM DIA PARA ES...

O PÂNTANO

O MELHOR DE DOIS MALES

DESCULPEM A SINCERIDADE…

A SOMA DE TANTOS ZEROS

DE DIFÍCIL COMPREENSÃO

TRANSPLANTE CEREBRAL

CASTELOS DEVOLUTOS

O FUMO DAS CHAMINÉS

TRINDADE

A MINHA CABEÇA VS A PARED...

SOFÁ-CELA

BANALIDADE

PORTUGAL 1143-2012

IMPERFEIÇÕES

RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL

MÁSCARAS

INSIGNIFICANTE

A CULPA É DA CANETA

OBLATA

SE É ESTE O FADO, QUE POS...

TENTATIVA DE ANIQUILAÇÃO

FICAMOS SÓS

POEMA AO NADA

MORTE AOS ARTISTAS

OBJECTOS INANIMADOS

IMPOSSIBILIDADE UNIVERSAL

GANG-BANG (POEMA ECOLÓGIC...

DESMORONAMENTO

BESTA

O PALHAÇO

FALSO IDEAL

FAZ FRIO

OS OUTROS

ALMENDRA REVISITADA

POBRES MORTAIS

TENHO MEDO DE MIM

NARCÓTICO

CABISBAIXO

ANTES FOSSE UM PESADELO

INEVITAVELMENTE

1\4 DE 0

BASTA

THÁNATOS

COLISÃO FRONTAL

VEIO Á NOITE

QUE RUMO?

A IMPERATRIZ

UM DIA DEPOIS DE ONTEM

OBSERVANDO O PASSADO, O P...

arquivos

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

blogs SAPO
subscrever feeds